terça-feira, 6 de outubro de 2009

Bem-Vindos ao blog do Gente Viva!!!

Hoje, o Gente Viva ganhou um cantinho no ciber-espaço. Vamos aproveitá-lo para divulgar o nosso trabalho e partilhar opiniões e o gosto que nos une: a poesia.

E porque se ama poesia, deixo um poema que me "saiu na rifa" num dos primeiros encontros GV.

Acordar na rua do mundo
madrugada, passos soltos de gente que saiu
com destino certo e sem destino aos tombos.
no meu quarto cai o som depois
a luz. ninguém sabe o que vai
por esse mundo. que dia é hoje?
soa o sino sólido as horas, os pombos
alisam as penas, no meu quarto cai o pó.

um cano rebentou junto ao passeio.
um pombo morto foi na enxurrada
junto com as folhas dum jornal já lido.
impera o declive
um carro foi-se abaixo
portas duplas fecham
no ovo do sono a nossa gema.

sirenes e buzinas. ainda ninguém via satélite
sabe ao certo o que aconteceu. estragou-se o alarme
da joalharia. os lençóis na corda
abanam os prédios, pombos debicam
o azul dos azulejos. assoma à janela

quem acordou. o alarme não pára o sangue
desavém-se. não veio via satélite a querida imagem o vídeo
não gravou
e duma varanda um pingo cai
de um vaso salpicando o fato do bancário.

(Luiza Neto Jorge)

Sem comentários:

Enviar um comentário